Nossa História

O Torneio Juvenil surgiu em agosto de 2009, mais precisamente no dia 8 daquele mês, nos corredores do Bloco B do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo. O evento foi Idealizado pelo prof. Me. Luís Rogério da Silva que o coordenou junto da profa. Dra. Leliane Nunes de Barros. 

Na época, antes de fazer organizar o evento, o professor Luís Rogério e seus alunos Raul Dario Cabrera, Ramon Silva de Lima, Renato Ferreira Pinto Júnior e Mariana Montenegro Terceros haviam retornado recentemente com um inédito prêmio da Robocup (Áustria) para o Brasil: A luta enfrentada pelos brasileiros para obterem êxito, além de lhes render a medalha de mérito mundial pela organização da OBR/CNPQ, também pôde demonstrar que o país se ressentia de uma política educacional que favorecesse a aprendizagem baseada em projetos de robótica desde a mais tenra infância.

Assim, iniciou-se um empreendimento sob o viés de ação social, tendo como objetivo fundamental o de ser um evento inclusivo, com inscrições gratuitas, aberto a todas as plataformas, oferecendo um grande rol de desafios para todas as idades. Desta forma, os organizadores, desde o primeiro momento, conseguiram tanto fomentar novas práticas pedagógicas quanto inserir as tecnologias emergentes, que se tornam, dia a dia, cada vez mais relevantes no convívio do cotidiano, como tópicos no currículo da Educação Básica em escolas públicas e privadas. 

Em 2010, o Simpósio de Temas em Tecnologia e Currículo, evento associado ao TJR desde 2009, apresentou as palestras do prof. Me. Marcelo Souza (UNICAMP), do prof. Dr. Roberto Hirata (IME-USP), do Prof. Dr. Mario Fontes (PUC-SP), do prof. Dr. Flávio Tonidandel (FEI), do prof. Dr. João Vilhete (UNICAMP) e da profa. Dra. Leliane Nunes de Barros (IME-USP), sob os cuidados da profa. Dra. Eliane Gonçalves (PUC-SP) que o coordenou.

Em 2011, coube à equipe Hipérion trazer ao Brasil a primeira taça , composta pelos, então, estudantes Renato Ferreira Pinto Júnior e Wallace Souza Silva, acompanhados pelos mentores Luís Rogério da Silva, Ricardo Hahn Pereira, Eliane Gonçalves conquista a taça inédita para o Brasil de primeiro lugar individual na Robocup Jr, em Istambul, Turquia. Logo a seguir, durante o evento de 2011, a equipe apresenta o projeto ao público do TJR: mais de 300 pessoas tomam conhecimento do projeto premiado nascido nos laboratórios da Comphaus, empresa responsável pelo aporte econômico do evento em todas as suas edições. Neste ano, Wallace Souza Silva, foi o coordenador da competição.

Em 2012, o TJR Torneio Juvenil de Robótica ganhou estrutura: Vanessa Ianaconi criou os primeiros passos para a logística, Renato Ferreira Pinto Júnior e Ricardo Hahn Pereira colaboraram para a criação dos Cadernos de Apoio, Gabriel Villela Noriega de Queiroz desenvolveu o Sistema Gaia, a profa. Dra. Izilda Nardocci  deu o ponta pé inicial para a Escola Pública de Robótica. 

Em 2012, foi criado o Exame Nacional de Tecnologia em Robótica __ ENATER e, em 2013, foi criado o TJR Mini para crianças de 06 a 11 anos, transformando o TJR no primeiro evento brasileiro de robótica para essa faixa etária.

Em 2014, o evento atinge o patamar de segundo maior evento gratuito de robótica no Brasil.

Em 2015, o prof. Me. César Augusto Rangel Bastos coordena a primeira final nacional do TJR – Torneio Juvenil de Robótica. O evento é realizado no Colégio Santo Inácio na cidade do Rio de Janeiro. No mesmo ano,  o TJR – Torneio Juvenil de Robótica engaja-se ao ITR – International Tournament of Robots e passa a selecionar as equipes brasileiras para esse evento que, em 27 de agosto de 2016, ocorreu na Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP).

Em 2016, o TJR – Torneio Juvenil de Robótica ocorre em todas as regiões brasileiras, atingindo a marca de segundo maior evento gratuito de robótica da América Latina, com uma final nacional com 299 equipes participantes.

Em 2017 e 2019, respectivamente, a Final Nacional e o ITR International Tournament of Robots contam, para a realização, com os auspícios do Governo do Estado do Maranhão. 

Em 2019, inicia-se o processo para a criação do Instituto TJR Torneio Juvenil de Robótica e, durante o ano de 2020, inaugura-se a RoboLeague - International League of Robots, plataforma internacional para permitir, de forma online, 24 horas, todos os dias, em fluxo contínuo, a avaliação e o monitoramento de projetos para a produção de protótipos de robôs: A plataforma inaugurou, com a divulgação pública da operação dos robôs em cenários reais, um novo ciclo para o ensino de robótica e computação.